sábado, 29 de julho de 2017

O Exercito nas ruas do Rio de Janeiro

O patrulhamento do Exercito só irá contribuir se for feito em área de risco, fora isso é deboche com as vitimas do crime. (Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas)


Comboios do Exército começaram o patrulhamento nas ruas do Rio no início da tarde desta sexta-feira (28). Há homens do Exército em Copacabana, na Zona Sul; na Linha Vermelha; na Rodovia Washington Luiz; na saída da Ponte Rio-Niterói; na Via Dutra; em São Gonçalo; na Avenida Brasil; e no Arco Metropolitano, onde há também a presença de blindados.

Pelo menos cem homens fazem bloqueios parciais nas pistas. Os militares estão no local com três jipes, um blindado e três caminhões, com o objetivo de coibir o roubo de cargas.
A decisão de convocar o Exército para atuar como Polícia no Rio de Janeiro foi tomada por conta da caótica situação da segurança pública no estado. Desde o início do ano, mais de 90 policiais foram assassinados em solo fluminense, e também são frequentes os casos de tiroteios e balas perdidas.

Em 2015 um jornaleco do Rio de Janeiro se desdobrou em criticas a um oficial da PMERJ por se referir a situação do Rio de Janeiro a um Estado em guerra. De lá para cá a situação se agravou e não estamos mais em guerra, estamos sendo exterminados. O #PartiuGuerra hoje é marca registrada nas saídas diárias para o policiamento.


Como cegos perdidos em tiroteio, o governador e secretário de segurança não sabem responder as perguntas que lhes são feitas, ou se sabem, não ousam dizer. Afinal, guerra se combate com guerra!

Mas quando se trata de resolver consequências de ações/omissões dos políticos, sempre vem a lembrança do Exercito Brasileiro. 

Inundou? Chama o Exército...
Falta água? Chama o Exército...
Dengue? Chama o Exército...
Anarquia urbana? Chama o Exército...
Políticos destruindo o país? Chama... ai não... ai é ditadura.

O Exercito usado como marionete, como útil dentro da falácia governamental e, pior, se queda à chamada de políticos tão criminosos quanto aqueles que se dispõem a combater.

Veremos o resultado desta empreitada, onde nossas Forças Armadas podem virar vitimas como a PMERJ tem sido há décadas.

3 comentários:

  1. A Polícia morre de inveja das forças armadas. Gostam é de tentar tirar onda. Principalmente em blitz de trânsito.
    As inscrições estarão sempre abertas. As FA não toleram banda podre.

    ResponderExcluir
  2. O que devemos dificultar é a tentativa de jogar uma " TRINCHEIRA " contra a outra;

    Se esse major deu essa declaração, deveria ser punido, imediatamente.

    As Forças Armadas ( tropa FEDERAL) não podem servir de pretexto e ficarem longo tempo, sob o risco de se contaminarem e se desgastarem ante a opinião pública, pois é isso que essa ESQUERDALHA deseja.

    ResponderExcluir
  3. GALERIA DE HERÓIS - ISSO É CHAMADO DE ENXUGAR GELO. A POLICIA PRENDE O MESMO DELINQUENTE MAIS DE 50 VEZES E A JUSTIÇA LIBERA. NÃO IMPORTANDO SE O CRIME QUE FOI COMETIDO UM ROUBO DE CELULAR OU UM LATROCÍNIO. O QUE O GOVERNO NÃO QUER FAZER É MANDAR UM PROJETO DE LEI AO CONGRESSO NACIONAL COM MUDANÇAS RÍGIDAS NAS LEIS DE EXECUÇÃO PENAIS E CÓDIGO DE PROCESSO PENAL. EXEMPLO: ACABANDO COM TODOS OS BENEFÍCIOS PARA REDUÇÃO DA PENA, ENTRE OUTROS PARA CRIMES VIOLENTOS.
    RODRIGUES.

    ResponderExcluir