sexta-feira, 30 de junho de 2017

Os fins justificam os meios?


E então policiais militares da UPP Mangueiras são atacados a tiros por traficantes que se encontravam de tocaia em cima de uma laje, duas senhoras, mãe e filha, são atingidas mortalmente e a “comunidade”, como numa ação adredemente planejada, desce para as pistas com madeira, lixo, pedras, contêineres e todo de lixo para atacar quem nada tem a ver com o caso.
Uma equipe atacada por meliantes que se encontravam num nível mais elevado não ocasionariam as mortes e sim quem atirava de cima para baixo, já que as vitimas estavam no mesmo nível dos PMs atacados. Seriam as vitimas propositais? Já é perceptível que os traficantes que dominam as comunidades se interessam nas vitimas que um confronto, mesmo que planejado, possa render. Já é perceptível que eles não se importam em "fabricar" uma vítima da comunidade para desencadear o cenário que a esquerda gosta, o cenário que pode ser usado para tecer suas criticas ardilosas contra as corporações policiais, nunca contra o governo, que igual a eles, são parte indegrante do estado narco traficante.

Antes do projétil disparado pelo traficante, o que matou as senhoras e outras vitimas diárias foi a mão do governo que, embora sua ação seja exigida, continua inerte perante o que acontece. As “cumunidades” também precisam ter consciência, o que devem ter, de quem os mata é o tráfico, ou também não se importam com seus vizinhos dizimados pela “causa” do traficante e do narco estado que se estabeleceu no Rio de Janeiro? Parece que não!

Dentro de sua ignorância padecem nas mãos de seu inimigo que distribuem migalhas a viciados para interditarem vias importantes, incendiar ônibus, apedrejarem carros e apolícia. E a polícia que se mostrou ineficaz diante dos atos terroristas praticados, onde um ônibus foi incendiado a menos de cem metros de uma viatura policial.



O policial, dentro deste cenário, fica imobilizado, já que a sociedade o atacará também, caso seja agredido e revide a injusta agressão. Pensem bem o que querem para o futuro de suas comunidades e da sociedade em geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário