terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

CARTA AOS EXMOS SENHORES MINISTROS DO STF

GENERAL TORRES DE MELO MANDA CARTA AOS EXMOS SENHORES MINISTROS DO STF.


Estou escrevendo para o mundo, pois tenho certeza que não serei lido por Vossas Excelências. Sou apenas um cidadão e não uma autoridade, logo sem muito valor.
Fiquei atônito, pasmado quando vi na TV o Ex. Sr. Ministro Marco Aurélio perguntar ao jornalista se ele acreditava no STF e ele sem pestanejar respondeu: NÃO.Durante toda a minha vida fui educado a acreditar no STF, que para mim era e é a última salvação do País, pois um STF desacreditado, é a morte da Nação.

Como sou muito idoso, só agora estou vendo Ministro do STF dando, quase que diariamente, entrevista. É a vulgarização do cargo. Ministro do STF tem como obrigação primeira manter a majestade do cargo.

Vi todas as crises. Nunca tinha visto se falar tanto em segredo de JUSTIÇA. Ladrão pequeno, bandido reles são mostrados nas TV, jornais e rádio e até procuram esconder a cara. Ladrão grande, de bilhões de reais, desculpem Ex. Sr. Ministros, de bilhões de dólares, são guardados com cuidado, pois roubaram a Nação. Segredo de Justiça para quem rouba o acervo do Palácio? Penso que é injustiça. Quem rouba o QUERIDO BRASIL deveria ser logo preso. Se funcionário público ainda mais cadeia.

Por que tanta demora em julgar os que são possuidores de fórum privilegiado? Alguns com vários processos ainda continuam dando palpite na vida nacional, quando a cadeia é pouca. Na China homem público roubou é processado e se culpado condenado a morte. Na Islândia acusado pede demissão. No Japão se suicida. Aqui, no velho Brasil de guerra, alguns voltam para casa, outros para casa com tornozeleira eletrônica e com direito a mil e uma apelações e os pobres desempregados por causa de ladrões de colarinho branco, cortando o leite dos filhos. Quando o Jornalista afirmou que não acreditava no STF o Ministro Marco Aurélio ficou parado. O rosto impassível. Parecia aquele rosto de uma senhora com a mão aberta no rosto, lábios ligeiramente abertos e com os olhos arregalados quando os alemães fizeram o quinto gol na copa do mundo. Eu, também, pois deixar de acreditar na justiça brasileira é o fim do mundo. O Ministro Teori Zavascki (Teori Albino Zavascki), preocupado com o cumprimento da lei, que é um mérito, não gostou que fosse dado conhecimento a determinados telefonemas gravados, pois a lei não permite. E roubar o País não é pior? Por que não julga os poderosos acusados no LAVA JATO? Não deveriam já se encontrar presos? Gostaria de saber se os senhores ministros fossem roubados como foi o Brasil, se os ladrões que avançarem nos pertences de V. Ex. teriam direito ao tão falado segredo de Justiça?

Ao terminar, gostaria que o meu STF fosse intocável e que a Justiça fosse para todos.
O ARTIGO 5º DA C F DIZ: TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI
GRUPO GUARARAPES – GEN TORRES DE MELO

Tem hora que é "PHODA"!

Foda a escala sugada;
Foda o sol quente rachando o dia;
Foda o colete menor que meu corpo;
Foda minha arma que nem sei se funciona;
Foda tomar tiro e não saber se posso reagir;
Foda meu salário vir alterado;
Foda eu ter que comprar meus equipamentos;
Foda eu ter que pagar meu treinamento;
Foda eu não saber se volto pra casa;
Foda perder um parceiro covardemente;
Foda não poder vinga-lo;
Foda ter que lidar com a mídia;
Foda ser julgado;
Foda ser condenado;
Foda ser inocente;
Foda não ter ninguém do nosso lado.



Ser policia é foda, mas também sou FODA por ser policial.
Pra aguentar o que aguento, tem que ser predestinado, senão você cai, se corrompe, vira um policial sem legado.
É FODA! E vai continuar sendo.


Me desculpem os palavrões, mas é assim que ando pensando.
Sabe como seria bom? SE FOSSE PIOR, pois se fosse pior, seria melhor.


Assim sou grato pela sociedade que me condena, pela mídia que me difama, pelo critico que não perdoa, pois graças a mim e meus irmãos, esses parasitas tem o que comer e o direito de falarem o que querem.


Imagina a cidade sem policia? Logo a mídia não iria conseguir trabalhar e a selvageria tomaria conta; Seria a lei do mais forte!!!
É vocês estariam fodidos carniceiros.


Até vocês precisam de nós, pois mantemos o equilíbrio na sociedade, e temos que ser equilibrados em casa, mesmo passando essa merda toda. Enfim é carnaval !!!
Somos fodas, somos a POLÍCIA !!!


(Autor desconhecido)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

AS FARRAS DE PICCIANI E PAULO MELO NUM CASTELO MILIONÁRIO

O MAIOR ROUBO DE DINHEIRO PÚBLICO DA HISTÓRIA DO BRASIL. O CASTELO ALUGADO!



Fora as celebridades internacionais e o deputado Edmar Moreira, você já viu alguém alugar um castelo na Itália para realizar o casamento com a sua noiva?
O castelo Orsini, na Itália, é alugado por gente que tem muito dinheiro. Celebridades de Hollywood costumam fazer eventos no local. O preço mínimo é de três milhões de euros, que convertidos em reais ultrapassa a cifra de R$ 12 milhões.
O empresário Mário Peixoto que atuou em vários contratos com o governo de Sérgio Cabral através de diversas empresas que vão de limpeza urbana até um instituto chamado DataRio faturou bilhões em contratos, inclusive até em algumas Prefeituras cujos prefeitos eram ligados ao atual presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani. 

Mário Peixoto foi quem alugou o castelo Orsini, na Itália, por 12 milhões de euros para um festa com apenas cinquenta convidados.

A Previdência não está falida, CPI já!

CPI da Previdência já tem assinaturas para sair do papel.
Paim informou que tem sofrido pressão por parte do governo para não dar seguimento à criação da CPI
Autor do pedido no Senado conseguiu o apoio de 29 parlamentares para instalar comissão que investigará déficit.
A Reforma da Previdência não para de ser questionada. Depois de ser interpelada por 28 parlamentares no Superior Tribunal Federal (STF), uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pode ser instalada para investigar a real situação da Previdência Social no país.
Ao longo da semana o senador Paulo Paim (PT-RS) conseguiu duas assinaturas a mais que as 27 necessárias, inclusive do PMDB, que faz parte da base aliada do governo, para dar entrada no pedido de CPI na Casa. 
A ideia é apurar desvios de verbas, fraudes, sonegações e outros tipos de irregularidades nos benefícios do INSS. “O governo diz que a Previdência é deficitária, mas nós dizemos que é superavitária. Queremos, então, tirar a prova e saber quem são os maiores devedores, além de entender como é a história das fraudes, sonegações e anistias”, argumenta Paim.
Com a adesão de membros da base aliada, o jogo de forças entre governo e oposição em torno da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, que trata da Reforma da Previdência, deve se intensificar logo após o Carnaval, quando o senador informou que fará o pedido formal de instalação da CPI da Previdência ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).
“O governo está fazendo terrorismo, inclusive ameaçando senadores para que eles retirem o nome, mas quem não deve não teme. Quem tem medo de uma investigação?”, questionou. O senador contou ao DIA que ele mesmo tem sofrido pressão por parte do governo para que não dê seguimento à criação da CPI. 
Para evitar que o Planalto consiga fazer com que algum senador retire a assinatura do documento e frustre a proposta da CPI, Paim disse que pretende angariar um número maior de assinaturas, na tentativa de chegar a 54 senadores, cerca de dois terços da Casa, além de apoio popular. Uma petição pública online que defende a criação da CPI já conta com mais de 7 mil apoiadores.
Tramitação
Com duração de 120 dias, a CPI terá poderes de investigação próprios de autoridades judiciais. A comissão poderá convocar pessoas para depor, ouvir testemunhas, requisitar documentos e determinar diligências, entre outras medidas.
A articulação surge no contexto de tramitação da PEC 287, que impõe regras mais rígidas para que o trabalhador acesse os benefícios previdenciários, como idade mínima de 65 anos para homens e mulheres darem entrada no benefício no INSS, mecanismos diferentes de cálculo do benefício e fim da cumulatividade de pensão com aposentadoria, entre outros pontos. 
A medida tem recebido fortes críticas de parlamentares da oposição e até membros da base aliada do governo, que se queixam do caráter austero da proposta.
Prazo para dar explicação
A Comissão de Ética Pública da Presidência da República deu prazo de dez dias para o secretário da Previdência, Marcelo Caetano, se manifestar sobre a denúncia de conflito de interesses.
De acordo com a Pública Central do Servidor, entidade sindical que apresentou o questionamento, Caetano é membro do Conselho de Administração da BrasilPrev, empresa de previdência privada e vem liderando o processo de formulação de propostas de Reforma da Previdência, o que geraria conflito de interesse. 
O relator da matéria será o próprio presidente da comissão de ética, Mauro Menezes.“O processo foi aberto e ele terá um prazo de dez dias para se manifestar”, afirmou. Ontem foi protocolada outra denúncia contra Caetano, só que no Ministério Público Federal (MPF). “A Brasilprev é uma das maiores interessadas em planos de previdência complementar”, criticou Tiago Botelho, diretor da central.

Rio sofre com queda de turistas estrangeiros no período de carnaval


Praia de Copacabana, dia ensolarado, poucos dias para o início do Carnaval, e a maior parte das mesas de quiosques e restaurantes da orla estão vazios. Atendentes e donos de quiosques, lojas de souvenir e restaurantes em áreas turísticas ouvidos pelo JB se queixam de que o movimento de turistas estrangeiros, em geral, está muito abaixo do registrado em anos anteriores. Além da redução na atração de visitantes, a maior parte dos turistas que vêm para a cidade é da América do Sul, público que tradicionalmente gasta menos, e a presença de norte-americanos, europeus e asiáticos já não é mais como antes. 
De acordo com dados da Associação de Hotéis do Rio (ABIH-RJ), a previsão de ocupação hoteleira na capital era de 72% dos quartos ocupados para o período carnavalesco. No ano anterior, a taxa foi de 85,93%.
A presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens do Rio de Janeiro (Abav-RJ), Teresa Cristina Fritsch, atribui a queda de turistas estrangeiros neste carnaval, principalmente, à redução no número de cruzeiros. "No ano passado, recebemos treze navios neste período. E este ano, serão apenas sete." 
Teresa Cristina ressalta, contudo, que "o turista nacional é tão importante quanto o estrangeiro, pois gasta e gera receita para a cidade". "Segundo a Riotur, teremos 1,1 milhão de turistas durante a semana do carnaval e 30% desse público é de estrangeiros", comenta Teresa Cristina.
Argentinos e chilenos são os que mais consomem nas lojas para turista. No ano passado, na época da Olimpíada, a maioria era de europeus e norte-americanos. Atendentes de quiosques fazem a mesma observação -- a maioria dos turistas estrangeiros são latinos, e não costumam gastar tanto quanto turistas vindos de outras regiões. 
Cassio Santos Sampaio, 25 anos, atendente em um quiosque na praia de Copacabana desde 2014, aponta que, em relação ao ano passado, o movimento está "muito fraco". 
Tatiane dos Santos, 22 anos, há um ano e meio trabalhando em outro quiosque, reforça que o movimento de turistas estrangeiros "está muito mais fraco que no ano passado". "Dificilmente a gente ficava parado nesta época do ano." De acordo com ela, entre os turistas, os que mais frequentam o local são os argentinos e chilenos, "que não gastam nada". Ela também se queixa do grande índice de assaltos, que poderiam, acredita, ser o motivo do afastamento dos turistas. 
Cláudio Salomão, 24 anos, há um ano e meio atuando em outro quiosque, também aponta: "está bem fraco" para uma semana de pré-carnaval. Ele reforça as reclamações sobre o índice de roubos na praia. Ele mesmo costuma recomendar aos clientes para guardar celulares e carteiras. 
Wagner de Souza, gerente do restaurante Maxim's há seis anos, conta que 90% dos clientes do local são turistas estrangeiros, a maioria sul-americanos -- que costumam consumir menos, ele reforça. Ele destaca, por outro lado, que os roubos da região teriam reduzido um pouco -- talvez devido à presença do Exército, ele comenta.  As Forças Armadas, contudo, deixaram as ruas cariocas no dia seguinte da entrevista, na quarta-feira (22).

Vivian Arab tem um restaurante na orla de Copacabana e um quiosque na Lagoa. Ela estima uma baixa de 60% no movimento deste período de carnaval em relação a anos anteriores. "É uma baixa bem grande, muito substancial. O comércio do Rio sofreu muito, ficamos abandonados à própria sorte. Eu tenho um segurança aqui [no restaurante de Copacabana] e lá [no quiosque da Lagoa"
"É uma tristeza. A gente tenta encontrar ânimo não sei da onde para não fechar o estabelecimento", conta Vivian, que escuta reclamações semelhantes de colegas comerciantes da cidade. 
A presidente da Abav-RJ, Teresa Cristina Fritsch, sugere que, para atrair mais turistas estrangeiros, é preciso aprovar a isenção de vistos, aumentar a conectividade aérea, fomentar e estimular a vinda de cruzeiros marítimos, buscar a isenção de impostos em meios de hospedagem e liberar a atuação de cassinos. 
O Jornal do Brasil entrou em contato com a Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro - Riotur, mas não recebeu retorno.




sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Que tal a Lava Jato chegar ao Judiciário?

Ex-corregedora nacional de Justiça quer que a Lava Jato investigue o Poder Judiciário.


A ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça Eliana Calmon, sempre polêmica e corajosa, que em 2012, quando ocupava o cargo de Corregedora Nacional de Justiça, disse que ‘bandidos de toga estavam infiltrados no Judiciário', voltou a atacar dizendo que ‘a Lava Jato precisa investigar o Judiciário’.

A magistrada aposentada pondera que ‘a grande maioria da magistratura brasileira é de juiz correto’, mas que ‘é preciso apurar a responsabilidade do Judiciário no escândalo de corrupção da Petrobras’.


Na entrevista concedida ao ‘Jornal El País’, Eliana Calmon diz ainda que considera ‘a Lava Jato um divisor de águas para o país. A partir dela vieram à tona as entranhas do poder brasileiro, e sua relação com a corrupção em todos os níveis de Governo. Mas para que tudo isso fique muito claro, seja passado a limpo de fato, precisa se estender para todos os poderes. Muitos fatos envolvendo o Executivo e o Legislativo vieram à tona, mas o Judiciário ficou na sombra, é o único poder que se safou até agora’.

Quanto a participação do Judiciário no escândalo de corrupção, Ela vaticina o seguinte: ‘a Odebrecht passou mais de 30 anos ganhando praticamente todas as licitações que disputou. Enfrentou diversas empresas concorrentes, muitas com uma expertise semelhante, e derrotou todas. Será que no Judiciário ninguém viu nada? Nenhuma licitação equivocada, um contrato mal feito, que ludibriasse e lesasse a nação? Ninguém viu nada? Por isso eu digo que algo está faltando chegar até este poder. Refiro-me ao Judiciário como um todo, nas três instâncias. Na minha terra, na Bahia, todo mundo sabia que ninguém ganhava nenhuma causa contra a Odebrecht nos tribunais. O que eu questiono é que em todas estas décadas em que a empreiteira atuou como organização criminosa nenhum juiz ou desembargador parece ter visto nada... E até agora nenhum delator mencionou magistrados’.


E se Temer e o Congresso insistirem em abafar a Lava Jato?


A política nacional sempre foi muito complicada, os observadores estrangeiros não conseguem entender tamanha esculhambação institucional, até mesmo os brasileiros têm enorme dificuldade, não conseguem acompanhar, a todo momento é preciso recorrer à tradução simultânea. Desde sexta-feira, dia 17, procura-se descobrir o real objetivo da explosiva entrevista que o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, concedeu à repórter Monica Gugliano, do jornal Valor Econômico. Como se sabe, chefes militares jamais se pronunciam sobre assuntos políticos. Quando o fazem, é porque há alguma coisa de errado, aliás, muito errado.

Link da entrevista: Valor Econômico
O mais impressionante foi a rarefeita repercussão das declarações, que mesmo assim abalaram as estruturas do poder em Brasília, com reflexos por todo o país, porque o comandante do Exército não mediu as palavras. Às vésperas do carnaval, rasgou a fantasia e se incorporou ao Bloco dos Descontentes, ao afirmar que “somos um país que está à deriva, que não sabe o que pretende ser, o que quer ser e o que deve ser“.
Ainda não satisfeito, acrescentou: “Esgarçamo-nos tanto, nivelamos tanto por baixo os parâmetros do ponto de vista ético e moral, que somos um país sem um mínimo de disciplina social“.
TRADUÇÃO SIMULTÂNEA – Ao dar entrevista ao Valor, que é um jornal de circulação mais restrita na Organização Globo, que comanda sozinha a publicação, desde que a Folha se desligou da sociedade, o general deixou claro que estava dando um recado “interna corporis”, destinado a atingir apenas o governo, os políticos e as lideranças militares.
O fato concreto é que o descontentamento e a pressão interna nas Forças Armadas têm cada vez mais intensidade. Entre as lideranças militares, há consenso de que não há planejamento no país, a administração pública não tem metas nem visa a atender os reais interesses nacionais.
Um dos objetivos da entrevista do general Villas Bôas foi acalmar o pessoal da ativa e também da reserva, pois os três clubes militares estão defendendo abertamente uma intervenção das Forças Armadas, a pretexto de moralizar a política e a administração pública.
SEM INTERVENÇÃO – Com muita habilidade, o comandante do Exército descartou a possibilidade de derrubada do governo constitucional: “Interpreto o desejo daqueles que pedem intervenção militar ao fato de as Forças Armadas serem identificadas como reduto onde esses valores foram preservados. No entendimento que temos, e que talvez essa seja a diferença em relação a 1964, é que o país tem instituições funcionando. O Brasil é um país mais complexo e sofisticado do que era. Existe um sistema de pesos e contrapesos que dispensa a sociedade de ser tutelada. Não pode haver atalhos nesse caminho. A sociedade tem que buscar esse caminho, tem que aprender por si. Jamais seremos causadores de alguma instabilidade“.
O general tem razão. A Constituição deixa claro que cabe às Forças Armadas “a defesa da Pátria, a garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”. E a Lei Complementar número 97 também é clara: ‘A atuação das Forças Armadas, na garantia da lei e da ordem, por iniciativa de quaisquer dos poderes constitucionais, ocorrerá de acordo com as diretrizes baixadas em ato do Presidente da República, após esgotados os instrumentos destinados à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio’”.
INTERVIR SIGNIFICA GOLPE – Sem a menor dúvida, a entrevista confirma a convicção de que não existe possibilidade de ocorrer a apregoada “intervenção militar constitucional”. O significado real seria “golpe de estado” ou “golpe militar”, apenas isso.
Segundo as cuidadosas declarações do comandante do Exército, essa hipótese estaria afastada. Mas acontece que as aparências sempre enganam, quando se trata da política brasileira. Na entrevista, a ênfase dada à moral e à ética, assim como a incisiva defesa da Lava Jato (“É a grande esperança de que se produza no país alguma mudança nesse aspecto ético que está atingindo nosso cerne, que relativiza e deteriora nossos valores“) – tudo isso demonstra que as Forças Armadas não estão desatentas nem omissas.
Ainda em tradução simultânea, o general Villas Bôas deixou claro que, se o Planalto e o Congresso insistirem nessa irresponsável tentativa de inviabilizar a Lava Jato, a história vai se repetir no Brasil, e não será como farsa. Portanto, espera-se que o presidente Michel Temer tenha um mínimo de juízo e não ouse levar adiante essa injustificável iniciativa.
As Forças Armadas não são seus comandantes, por mais que se mostrem subservientes e não desejem nem queiram arcar com o peso de uma Intervenção, correntes internas podem e devem pressionar neste sentido. O País está um caos, apesar da tão apregoada “crise”, as verbas ainda saltam volumosamente para os bolsos de quem deveria restringir gastos. Nomeações ocorrem desafiando a vontade popular e garantindo impunidade diante da Lava jato. Apesar de seus comandantes, as Forças Armadas são Instituições e homens não são instituições, só as representam enquanto respaldados por elas.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Carta a Michel Temer

CARTA ABERTA DO POVO BRASILEIRO AO PRESIDENTE MICHEL TEMER.


Senhor Michel Temer,

O povo do Brasil foi às ruas exigir o impeachment da agora Ex-Presidente Dilma Vana Rousseff, o que acabou ocorrendo em definitivo em meados do ano de 2016, quando Vossa Excelência, na qualidade de Vice-Presidente eleito, assumiu o mais relevante cargo público da pátria brasileira.

É importante salientar que Vossa Excelência não foi alçado da Vice-Presidência à Presidência pela vontade da maioria dos brasileiros que foram às ruas, mas pelo simples fato de ter sido eleito como Vice-Presidente na chapa da Ex-Presidente Rousseff, e, em tal condição, apto a assumir a cadeira presidencial, apesar da eleição só ter ocorrido em razão da divulgação de propostas inexequíveis e pela maquiagem de dados relativos ao primeiro mandato da presidente cassada Dilma Rousseff.

Já era de se esperar, portanto, que Vossa Excelência, ao assumir o comando do Palácio do Planalto, não fizesse drásticas modificações na condução do Brasil, já que foi eleito pela mesma chapa e, portanto, com as mesmas falsas promessas da ex-mandatária Dilma Rousseff.

Ainda assim, V.Exª., em primeiro lugar como brasileiro; em segundo, como agente público que é, e em terceiro lugar, como reconhecido jurista constitucionalista que é, esperávamos que seu governo fosse pautado pela ética e pelo respeito às leis e à moral, ainda que preservasse grande parte da incompetência e da inabilidade que foram marcas registradas do desastroso governo Dilma.

Não é, todavia, o que os brasileiros estão vendo ocorrer. O que se tem visto, muito pelo contrário, é que Vossa Excelência tem governado da mesma forma que seus dois antecessores (a impedida Dilma Rousseff e o réu Luiz Inácio Lula da Silva).

Para ilustrar, mencionaremos a seguir alguns exemplos que nos saltam aos olhos e que demonstram a forma torta como vem conduzindo a pátria.

Vossa Excelência resolveu conferir status de Ministro a Moreira Franco, delatado por comparsas por irregularidades e ilicitudes, concedendo a ele um dos mais horrendos privilégios da nefasta classe política brasileira – o “foro privilegiado” - colocando-o fora do alcance das canetas dos juízes criminais que vêm limpando o Brasil nos últimos anos. Nada diferente do que fez Dilma Rousseff, ao proteger Lula do juiz Sérgio Moro ao conferir-lhe o título de Ministro da Casa Civil.

Conferir proteção a acusados de corrupção não é o que exatamente espera-se de um Presidente que tem nas mãos um país que se encontra em verdadeiro caos econômico, político e social. Essa forma de agir difere completamente do slogan “ordem e progresso”.

Vossa Excelência decidiu nomear o até então Ministro da Justiça, Alexandre Moraes, para ocupar o cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal, mesmo sabendo que o mesmo foi advogado do Ex-Deputado e agora presidiário Eduardo Cunha, envolvido até o pescoço na Operação Lava Jato, e conhecedor da filiação do mesmo ao PSDB. Nada diferente tal atitude do que fez Lula ao nomear Dias Toffoli (que foi advogado do PT) para o cargo de Ministro do STF, contribuindo para a partidarização e afetação do mais relevante tribunal brasileiro.

Nomeação ao STF de membros de partidos políticos e de ex-advogados de acusados em sistemas de corrupção não é exatamente o que se espera de um Presidente da República que tenha a boa moral como principal virtude, especialmente se considerarmos que o indicado ao STF terá o importante papel de revisor nos processos da Operação Lava Jato, tão cara aos cidadãos brasileiros.

Vossa Excelência e seu partido, o PMDB, adotam o fisiologismo e a negociata como práticas permanentes de governo. A aparente oposição instalada no Brasil após a Constituição de 1988 (PT x PSDB) é, nas mãos do PMDB, apenas um instrumento de alternância do principal grupo saqueador de dinheiro público. Tanto é assim que o PMDB, desde 1988, vem governando o Brasil, ora como ator principal, ora como vice-artífice do mal que os políticos brasileiros vêm causando a toda nação.

A intenção de indicar o Senador Renan Calheiros, envolvido em dezenas de denúncias de corrupção, para o cargo do Ministro da Justiça, durante o feriado de carnaval, época em que o brasileiro sabidamente encontra-se em recesso (e tentando evitar protestos), sem dúvida, seria a última gota que faltaria para o fim de seu governo, pois o carnaval, assim como o seu governo, chegariam logo ao seu final e, neste último caso, de forma melancólica.

Vossa Excelência deve receber esta carta como um derradeiro aviso. Da mesma forma que Dilma Rousseff foi impedida, Vossa Excelência poderá sofrer as severas penas de um processo de impedimento, com vários exponenciais agravantes, a seguir listados:

a) Vossa Excelência e seu partido fisiologista, o PMDB, não dispõem de qualquer militância representativa, seja ela partidária, seja ela de movimentos sociais e, ainda que resolvessem remunerar supostos militantes com “pão e mortadela”, seu partido não disporiam sequer de experiência para tal organização, o que levaria seu governo ao chão em poucas semanas;

b) a população brasileira está extrema e exaustivamente aborrecida com o caos no qual seu governo e o governo anterior, do qual Vossa Excelência foi sócio, colocaram o país, de forma que protestos contra o seu governo poderão ser desencadeados com o mais leve estalar de dedos, tal como ocorreu em 2013, supostamente por aumentos dos preços de passagens de ônibus, pois certamente a população brasileira dirá: “não é pelos vinte centavos”;

c) Vossa Excelência e seu governo não poderão fazer uso da brutal divisão entre brasileiros (“nós e eles”) orquestrada pelo Ex-Presidente Lula, de forma que as partes “nós e eles” estarão cada vez mais unidas contra seu governo caso as mais básicas reivindicações do povo brasileiro não sejam atendidas.

Por todo o exposto, seguem três primeiras básicas reivindicações que devem ser atendidas de imediato, sob pena de, diante de eventual não atendimento, serem reiniciadas as manifestações populares que em 2013 fizeram o governo petista tremer:

a) Encaminhamento ao Poder Legislativo de projeto de EXTINÇÃO do foro privilegiado;

b) Revogação da nomeação de Moreira Franco;

c) Nomeação de jurista de reputação ilibada e de alto conhecimento técnico, sem qualquer vinculação política ou partidária, para ocupação do cargo de Ministro da Justiça. Não aceitaremos juristas inimigos da Lava Jato, como o Dr. Antonio Mariz de Oliveira, que inclusive já assinou manifesto contra a operação Lava Jato.

Por fim, advertimos Vossa Excelência que o não atendimento a estas reivindicações até o dia 31 de março de 2017 iniciará o maior ciclo de manifestações “espontâneas” da história do Brasil, com a paralisação de ruas, avenidas, rodovias, instituições privadas e públicas, escolas, comprometendo a distribuição de combustíveis e materiais básicos.

Como forma de comprovar nossa alta capacidade de articulação e penetração em toda a população brasileira, esta carta circulará frenética e constantemente nos grupos de mensagens e redes sociais, como Whatsapp, Telegram, Facebook e Twitter nos próximos dias, o que poderá ser detectado pelos sistemas de inteligência que estão à disposição do Governo Federal.

Não recomendamos “procurar” “representantes” para negociação, pois no atual momento o “povo brasileiro” não reconhece qualquer pessoa, grupo ou movimento como seu legítimo representante. Tampouco os que recentemente tiraram fotos com Vossa Excelência.

Presidente Michel Temer: não “compre briga” com o povo brasileiro, pois todo o poder emana do povo, e por meio dele será exercido.

Sem mais,

Povo Brasileiro
(das redes sociais)

Maria do Rosário exposta.

Homem que publicou fotos da filha de Maria do Rosário se identifica e solta um vídeo explicativo.


A deputada petista Maria do Rosário (RS) divulgou hoje (22) uma nota para denunciar que sua filha de 16 anos está sendo vítima de crimes nas redes sociais
A deputada argumentou que a filha está sendo exposta nas redes sociais com imagens e informações distorcidas.
Um homem chamado Alan dos Santos assumiu a autoria do vídeo e explicou os motivos que o levaram a fazer as postagens:


Villas Bôas mostra sua total submissão.


Presidente da República recebe bastão de comando em Reunião do Alto-Comando do Exército.

Brasília (DF) – O Presidente da República, Michel Temer, visitou o Quartel-General do Exército, Forte Caxias, no dia 21 de fevereiro, durante a 310ª edição da Reunião do Alto-Comando do Exército Brasileiro. Ele recebeu, das mãos do Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôasum bastão de comando, simbolizando o comando supremo das Forças Armadas, atribuição constitucional do Presidente da República.


O evento contou com a presença do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, do Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, General de Exército Sérgio Westphalen Etchegoyen, e do Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira.

A Reunião do Alto-Comando congrega, durante uma semana, ao menos seis vezes por ano, todos os oficiais-generais de Exército, último posto da carreira na Força Terrestre, em tempo de paz. Os encontros discutem temas relevantes para a Força e, na edição de nº 310, a principal pauta é a promoção de generais.

“Ao receber esse bastão de comando, eu tenho uma responsabilidade maior. Ao dizer ‘muito obrigado’ aos senhores, digo no sentido literal. Com essa simbologia que me foi entregue, eu me sinto mais obrigado a cumprir, adequadamente, as minhas funções, como o fazem permanentemente as Forças Armadas do País”, declarou o Presidente Michel Temer aos oficiais-generais presentes.

O bastão de comando simboliza a autoridade que possuem os comandantes, sendo símbolo do posto de oficial-general. No Exército Brasileiro, o objeto é feito de pau-brasil.

Noticia do Exercito

Sim, constitucionalmente o Presidente da República é o Comandante em Chefe das Forças Armadas, o que não significa que realmente tenha a capacidade de exercê-lo. O Bastão de Comando, também simbólico, gerou interpretação de total submissão das Forças Armadas às decisões deste presidente cada dia mais impopular.


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O professor está mal preparado?

Segundo o “grande” jornal da noite, os professores estão mal preparados. Descobriram uma grande verdade!


Analisando:
1 – Projetos mirabolantes em que o professor “rasga” seu diploma com a disciplina específica e passa a atuar em sala de aula com várias disciplinas, onde faz a mágica de ensinar o que não aprendeu. O PROFESSOR está mal preparado em sua carreira como mágico.

2 – Separação de brigas entre os alunos na escola, todo tipo de violência física e psicológica. O PROFESSOR está mal preparado como instrutor de luta livre, karatê, judô e etc...

3 – Famílias com sérios problemas sociais, estruturais, abandono afetivo dos filhos alunos. O PROFESSOR está mal preparado como assistente social.

4 – Alunos com personalidades dúbias, comportamentos agressivos, afetividade comprometida. O PROFESSOR está mal preparado como psicólogo.

5 – Alunos necessitando de acompanhamento de saúde na visão, na fala, na mente. O PROFESSOR está mal preparado como médico.

6 – Alunos com intensa carência afetiva, física e presencial da família. O PROFESSOR está mal preparado como pai e mãe dos filhos dos outros.

Diante dessa visão educacional realmente o PROFESSOR é mesmo muito mal preparado, a GLOBO acertou!

Sonia Alencar – Professora da rede municipal do Rio de Janeiro.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Feliz carnaval mané!

Jamais vou entender esse fenômeno chamado carnaval.
Um povo sofrido, roubado, explorado e muitas vezes sem perspectivas, de uma hora para outra explode numa alegria sem motivo, sem limites, sem pudor.



Homens que até sexta feira trabalhavam de terno e gravata vão para as ruas maquiados, vestidos de mulher, soutien por cima dos peitos, braços e pernas cabeludos, numa imitação grotesca e sem sentido do sexo feminino. Mulheres que se matam no trabalho, muitas vezes degradante e mal remunerado; sofrem nas filas de hospitais e creches, aparecem na passarela cobertas de brilho e rebolando, como se não houvesse o amanhã.

Os canalhas no poder adoram essa orgia sem sentido, porque pelo menos por alguns dias, o povo está olhando pro outro lado, enquanto eles continuam sugando cada gota de sangue e cada centavo que puderem roubar.

As ruas estão tomadas de foliões urrando de alegria e eu me pergunto: Você está alegre porque otário???

Sua vida melhorou de ontem para hoje? Seu salário aumentou? Seu filho estuda numa boa escola pública? Se você cair de um trio elétrico e quebrar a cabeça, vão te levar para um bom hospital público? Você terá água em casa, para tomar banho, quando voltar dessa gandaia?

Me explica seu trouxa, tá rindo de que?


Você irá pra rua com essa mesma vontade se for para protestar contra toda essa roubalheira absurda que está destruindo seu País?
É por isso que os governantes adoram carnaval e jamais vou entender porque nosso povo é tão alienado. 

Texto retirado da internet.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Mídia mentirosa.


É mentira da imprensa que os PMs irão responder a processo criminal da forma como está sendo noticiado. Posso comentar sobre isso, porque ainda não existe nenhum processo e o cidadão comum precisa entender esse mecanismo de processo criminal. Só existirá processo, após o término do inquérito policial militar, quando os autos vão ao Promotor de Justiça para estudar o caso e formar a sua ideia sobre o ocorrido. Se ele entender que houve crime, apresentará uma denúncia. O juiz analisará o caso é, se entender que existe um mínimo de conteúdo probatório, aceitará a denuncia, caso contrário, poderá rejeitá-la. Nesse caso o Promotor poderá recorrer ao Tribunal que decidira. Se o Promotor entender que não houve crime, pedirá o arquivamento. Se for aceito, Inês é morta e não haverá processo criminal nenhum. Se o juiz não aceitar o pedido de arquivamento, os autos vão para o Procurador Geral que, se entender de forma diversa do Promotor, poderá ele mesmo oferecer a denúncia ou designar outro Promotor para apresentar a de denúncia e acompanhar o processo até o julgamento final. Se o Procurador Geral concordar com a posição do Promotor, determinará o arquivamento e o juiz é obrigado a arquivar e ninguém vai ser processado. 

Podemos constatar que não é a vontade de nenhuma autoridade do executivo, por mais poderosa que se ache,  que vai haver processo criminal contra os PMs. Há outro detalhe, o juiz, no caso, é o Conselho dá Justiça Militar, composto por quatro oficiais dá PM sorteados é um Juiz de Direito, que é o presidente do Conselho. 
Perceberam como a imprensa está notificando para causar pânico. 

O processo administrativo é outra história. Pelo que se vê na imprensa, as demissões estão sendo publicadas, o que é outra notícia propositadamente trucada. Há necessidade de um processo administrativo, com direito à ampla defesa e, depois da conclusão, quem se sentir prejudicado poderá ingressar na Justiça para que o caso seja revisto. Fico indignado com essa imprensa que se faz de ignorante e publica notícias ameaçadoras. Pior é que não está dando para mudar de canal. Está tudo dominado.

José Rodrigues Pinheiro - Juiz TJES

Obrigado Parceiro.


Um dia eu ainda bem novinho adentrei numa unidade da PMERJ pronto para estar à serviço da sociedade do Rio de Janeiro e, num lugar difícil de se achar referencias, lá estava ele, o Figueiredo.

De inicio não dei atenção, mas aquela pessoa queria me passar conhecimento. E eu, na minha soberba ignorava como se fosse detentor de tudo que deveria saber.

Ledo engano, muitos percalços teriam sido evitado se lhe tivesse ouvido. Outras vozes também se levantaram querendo me instruir, mas o sentido era outro.

Após muitos anos novamente encontrei Figueiredo na ultima unidade que trabalhei antes de passar para a Reserva Remunerada, ele estava lá com seu sorriso sempre a me admirar e ignorando que hoje, eu mais velho, tinha por ele admiração muito maior.

Pessoas passam por nossas vidas, outras deixam marcas dessa passagem. Figueiredo foi um desses. A visita prometida não aconteceu, foi sempre adiada e Figueiredo se foi.
Não dá para descrever o que sinto com sua partida, é quase se sentir um órfão. 

Mas não creio que ele tenha ido, foi convidado, pois os ilustres precisam estar junto ao Senhor no preparativo de sua volta.

Fica aqui nestas poucas palavras, que escondem as lágrimas, minha homenagem a meu amigo José de Figueiredo. Amigo que se foi, mas deixou sua marca em minha vida, a marca da experiencia, da verdadeira amizade.

Minas Gerais também se liga no LIGA


Foi um sábado produtivo, atendemos convite dos mineiros no sentido de apresentar o Partido LIGA, que tanto interesse desperta na sociedade que não vislumbra uma saída política.

Nosso Programa e Estatuto é claro quanto a nossas intenções, é o diferencial dentre tantos que hoje não mais se identificam com a sociedade brasileira.

Há cerca de duas semanas recebemos convite de empresários e pessoas ligadas à política de Minas Gerais, mais especificamente de Belo Horizonte. Lá fomos nós, um bate e volta à Minas Gerais. O emprenho do Nosso Secretário Nacional de Inteligência, Tiago Oliveira, foi contundente na realização desse encontro, sem o que não teria sido possível a realização.

A pedido não identificaremos, por enquanto, os mineiros que se identificaram com o LIGA e se comprometeram a intensificar os Diretórios Municipais daquele Estado. E estão com pressa! A Direita Conservadora, até então sem representação nos partidos políticos que passeiam pelo que de pior a esquerda oferece, hoje tem representação no LIGA Democrática Liberal.

Site: LIGA

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A quem o comando PMERJ serve?

Oficiais são presas por desobedecerem ordem envolvendo manifestantes.
Duas oficiais foram presas administrativamente no 31ºBPM (Recreio dos Bandeirantes) por desobedeceram uma ordem envolvendo manifestantes locais. Em nota, a assessoria de imprensa da corporação disse que as duas foram encaminhadas para a Unidade Prisional da PM, por terem incorrido em crime militar. 
A reportagem apurou que uma das oficiais teria se recusado a algemar uma manifestante, supostamente familiar de um policial, que bloqueia a entrada da unidade pedindo melhorias para a categoria. 
Capitão Ana Paula Moutinho, "Meu primeiro instinto foi amamentar"
Na sexta, uma outra oficial do mesmo batalhão foi presa por incentivar a greve no Facebook. Na ocasião, a capitão Ana Paula Moutinho afirmou que aprovava a paralisação e que a sociedade ficaria desguarnecida. "Só cuidaremos dos nossos! Fujam para as colinas", dizia a mensagem. A PM disse que considerou suas mensagens "agressivas à sociedade".
Ora senhores, os abusos de autoridade estão sendo cometidos escancaradamente pela PMERJ, que hoje não poupa nem seus oficiais. A Súmula vinculante 11 do STF mostra claramente os casos onde o uso de algemas deve ser aplicado, o que no caso da oficial que se recusou a algemar a manifestante não foi necessário. A quem o comando da PMERJ serve?

Só é lícito o uso de algemas em casos de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do Estado.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A mídia só mostra um lado. GLOBO, vai "TOMATECRÚ"

                           Major Elitusalem Freitas ao centro

Uma averiguação da Polícia Militar do Rio constatou indícios de que o major Elitusalem Freitas cometeu os crimes de incitamento e publicação ou crítica indevida, previstos no Código Penal Militar. Segundo apuração da Corregedoria da corporação, o oficial fez postagens no Facebook insuflando PMs a matarem criminosos e defensores de Direitos Humanos. Ele escreveu ainda críticas ao Curso de Formação de Oficiais deste ano. O militar também será submetido a Conselho de Justificação que poderá culminar com sua expulsão da PM.

A conclusão do procedimento da corregedoria foi publicado no Boletim Disciplinar Reservado da corporação dessa quarta-feira. A investigação será encaminhada ao Ministério Público para que seja oferecida denúncia. De acordo com o boletim, seu porte de arma deve ser revogado e sua carteira funcional, recolhida.
Este jornaleco deveria se instruir melhor antes de informar o que não tem conhecimento. Se um “procedimento” vislumbra cometimento de crime militar, deve ser imediatamente suspenso e instaurado um IPM, este sim, competente para apurar e denunciar.
Logo, o “procedimento” é meramente instrumento de apreciação disciplinar, não tem competência de encaminhamento ao Ministério Público, só o IPM faz isso e assim mesmo ao Ministério Público Militar.
Se a fonte de informação deste "jornaleco" foi a PMERJ, o que está omitido, mostra que está muito a dever a verdade dos fatos e dos "procedimentos".

O Major PMERJ Freitas afirma que em nenhum momento o "jornaleco" tentou contato, não oportunizando seu Direito ao Contraditório e Ampla Defesa, tão em falta nos dias de hoje e também nos "procedimentos " da PMERJ. Major Elitusalem Freitas frisa que: "Como sempre prevalece a ultima palavra da mídia e se quiserem ser justos, coloquem junto a matéria o link de seu vídeo".
#RetrocederNunca!

A vontade política é assim, eliminar seu opositor com falsas acusações, escondendo a verdade e cooptando um FDP que coadune com ela. E na PMERJ isso é fácil acontecer.

Força e Honra! HURRA!!! 


Ex-chefe do Estado-Maior, Ricardo Pacheco abriu investigações, mas foi preso como mentor do bando que roubou milhões da saúde PMERJ.

Muito estranho a instauração de Conselho de Justificação, que pode excluir com perda da Patente ou Reformar ex ofício o oficial. Tivemos noticiais de outros, que escancaradamente, roubaram o dinheiro dos policiais, dinheiro da Saúde do policial, dinheiro que sai do bolso do policial, e que até hoje não se cogita a exclusão. Será que por detrás do assalto ao dinheiro do policial, que foi de milhões, há a política envolvida?